THEATRO

Theatro NET Rio

Arrendado em abril de 2011, pelos produtores culturais Frederico Reder e Juliana Reder, da Brainstorming Entretenimento, após mais de dez anos sem atividades, o Teatro Tereza Rachel teve sua reforma iniciada no mesmo ano e intensificada em janeiro de 2012. Seu projeto arquitetônico foi idealizado por José Dias, o maior especialista em revitalização de teatros do Brasil. E tem a NET como patrocinadora oficial.

Nos primeiros dias de março de 2012 a reabertura do Teatro passa a ser divulgada oficialmente na mídia e nas redes sociais, anunciando também o seu nome e slogan, Theatro NET Rio – Para o Rio, o Terezão é agora.

Quarenta anos depois de sua primeira inauguração, o Teatro reabre suas cortinas no dia 4 de abril de 2012, com convidados da classe artística e empresarial, com o espetáculo "BIBI – Histórias e Canções", no qual Bibi Ferreira comemora seus 90 anos de vida e 70 anos de carreira. E no dia 7 de abril, para o grande público.

O espaço conta com duas salas, sendo a maior, Sala Tereza Rachel, com capacidade para mais de 622 lugares e a menor, Sala Paulo Pontes, com 100 lugares. O Theatro NET Rio tem como objetivo ser o palco de todas as artes.

  • Anos 70

    Localizado no Shopping Cidade Copacabana, no Rio de Janeiro, o Teatro Tereza Rachel foi inaugurado em 14 de outubro de 1971, pela atriz que lhe dá o nome.

    Na ocasião, a cantora Gal Costa estreou o show "Fa-Tal - Gal a Todo Vapor", em uma temporada de apresentações que seriam registradas no disco ao vivo.

    Tereza Rachel também produziu várias peças no local, como a montagem da peça "A Mãe", de Stanislaw Witkiewicz, que lhe rendeu o Prêmio Molière como melhor atriz, e "Tango", de Slawomir Mrozek, que fez com que a crítica especializada a considerasse a produtora mais corajosa do Rio de Janeiro.

    Em março de 1972, o disco "O Canto Jovem de Luiz Gonzaga", gravado no ano anterior, resulta no show "Luiz Gonzaga Volta Pra Curtir". No mesmo ano se apresentam Milton Nascimento, Os Mutantes e Os Novos Baianos.

    Em 1973, o musical "A Missa Leiga" é encenado por Norma Suely e Eduardo Machado. E Luiz Gonzaga apresenta o espetáculo "Luiz Gonzaga, o rei do baião".

    No palco do Terezão, como carinhosamente o Teatro é conhecido, vários sucessos da dramaturgia brasileira e internacional foram apresentados, com destaque para "Um Bonde Chamado Desejo", de Tennessee Williams, encenado por Tereza e por Eva Wilma, em 1974, e os musicais "Gota d'Água", de Chico Buarque de Hollanda e Paulo Pontes, estrelado por Bibi Ferreira, em 1975.

    A irreverência e ousadia também se fizeram presentes nos palcos, com os atores bailarinos de Dzi-Croquettes, como seres andróginos.

    Ainda nesta década, foram encenados os espetáculos "A Gaivota", "Os Melhores Anos de Nossas Vidas"," Mais Quero Um Asno Que Me Carregue que um Cavalo que Me Derrube" e "O Santo Inquérito". Além de apresentações musicais de Caetano Veloso, Turíbio Santos, Rita Lee, Wanderléa, Banda Vimana (formada por Lobão, Luiz Simas, Lulu Santos, e Fernando Gama), Alceu Valença com o show "Vou Danado Pra Catende!", Raul Seixas, Belchior, Fagner, Ivan Lins e Pepeu Gomes.

  • Anos 80

    Abrindo a década de 1980, o grupo MPB4 faz o show de lançamento do disco "Vira Virou".

    Em 1982, o Teatro foi fechado temporariamente para reforma, sendo reaberto um ano depois com o show "Chico Set", com Chico Anysio.

    Em 1984, é apresentado o espetáculo "Brincando Em Cima Daquilo", com direção de Marília Pêra.

    Em 1985, é inaugurada a Sala Paulo Pontes. No mesmo ano, o musical "A Chorus Line", de Michael Bennett, marca a estreia de Cláudia Raia como atriz nos palcos, aos 16 anos.

    Na segunda metade desta década são apresentados espetáculos como: "Escola de Mulheres", dirigido por Roberto Blat Lages, e "A Pequena Loja dos Horrores", com Claudia Raia, Eduardo Dusek, Stella Miranda, Osmar Prado, Tim Rescala e grande elenco e com direção de Wolf Maya.

  • Anos 90

    Em 1990, Juca de Oliveira escreve e estrela a peça "Meno Male", ao lado de Tereza Rachel. E Diogo Vilela apresenta o espetáculo "Solidão, a Comédia".

    Em 1991, Paulo Gracindo atua e assina a direção e produção de "No Lago Dourado". No ano seguinte, é apresentado "Robin Hood", primeiro espetáculo profissional do ator Eduardo Moscóvis. O elenco conta ainda com Alice Borges e Marcello Caridade.

    Em 1992, Marília Pêra apresenta o espetáculo "Prima Dona". E, em 1993, Célia Helena encena "Laços Eternos".

    Comemorando os 25 anos do Terezão, com mais de 340 eventos artísticos e mais de 5 milhões de espectadores, são apresentados os espetáculos “Brasileiro, Profissão Esperança” e "Oh! Calcutá", em 1996.

    No ano seguinte, é concedido a Tereza Rachel o Título de Benemérito do Estado do Rio de Janeiro, devido ao seu trabalho como atriz e produtora de cultura.

    No final da década, o Teatro fecha suas portas e encerra suas atividades.

    O Terezão tornou-se nacionalmente conhecido como um templo da moderna música popular brasileira e das artes cênicas. Ao longo de sua história, outros espetáculos de sucesso foram encenados: "A Visita da Velha Senhora", "O Pagador de Promessas"," Jogo Mortal", "Fulaninha" e "Dona Coisa", "Arena Canta Zumbi", "Os Fuzis da Senhora Carrar", "Sonhos de Uma Noite de Verão" e "Rock Horror Show", além dos já citados.

  • Anos 2000

    Outros artistas e grupos consagrados, como: Gonzaguinha, Amelinha, Sivuca, Paulinho da Viola, Carmem Costa, Zizi Possi, Baby do Brasil, Nelson Cavaquinho, Eduardo Dusek, Marlene, Zé Ramalho, Elza Soares, Jackson do Pandeiro, Ademilde Fonseca, Erasmo Carlos, Geraldo Azevedo, Clara Nunes, Fafá de Belém e Adoniram Barbosa. Além de atores, como: Elza Gomes, Dina Sfat, Aracy Balabanian, Gloria Menezes, Sonia Oiticica, Renata Sorrah, Gracindo Jr., Jorge Dória, Grande Otelo, Luis Gustavo, Sebastião Vasconcelos, Renato Borghi, Milton Gonçalves, entre outros, que também ajudaram a escrever esta história.

    Entre 2001 e 2008 foi alugado para a Igreja Universal do Reino de Deus, para as suas pregações religiosas. Em 2004, foi tombado pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

    Entre 2008 e 2011, o espaço foi usado pelos diretores e produtores teatrais Charles Moeller e Cláudio Botelho como local de ensaios e seleções de elenco dos musicais produzidos pela dupla, como: "A Noviça Rebelde", "O Despertar da Primavera", "Gypsy", "Hair", "Um Violinista do Telhado" e "As Bruxas de Eastwick".

  • 2010

    Em abril de 2011, foi arrendado pelos produtores culturais Frederico Reder e Juliana Reder. No mesmo ano teve início sua reforma, na qual foram retiradas suas cadeiras e a estrutura que as sustentavam.

  • 2012

    Teve suas obras intensificadas em janeiro.

    Abre suas cortinas no dia 4 de abril, com uma apresentação especial para convidados, e no dia 7 de abril para o grande público, com o espetáculo BIBI - Histórias e Canções, com Bibi Ferreira e orquestra, no qual a atriz-cantora celebra seus 90 anos de vida e faz um passeio por sua trajetória de 70 anos de carreira.

GALERIA
Conheça o teatro e suas dependências.