PROGRAMAÇÃO

AVENIDA SAMBA CANÇÃO - 01 DE ABR

01 de abril, às 21h 

A partir de R$ 25

Classificação: 12 anos 

A beleza e poesia dos sambas-enredo pedem passagem! O Show “Avenida Samba Canção”, exalta a beleza dos sambas que marcaram Carnavais provando que o gênero encanta o público também fora do período da folia. Idealizado pelo músico Igor Eça, o show apresenta sambas emblemáticos e inesquecíveis como “Das maravilhas do mar, fez-se o esplendor de uma noite”, (Portela, 1981), “Sonhar não custa nada”, (Mocidade, 1992), “Caymmi mostra ao mundo o que a Bahia e a Mangueira tem” (Mangueira, 1986) e “Domingo”, (União da Ilha, 1977), Aquarela brasileira ( Império Serrano 1964).

 “As músicas são cantadas e tocadas mais lentamente e com arranjos que destacam as palavras, jogando o foco na poesia. O samba enredo narra uma história, muitas vezes com letras primorosas que, com o ritmo das baterias e a plasticidade das alegorias, acabam não sendo as únicas estrelas do desfile”, explica Igor Eça, idealizador, diretor musical e arranjador do espetáculo.

O percussionista Mingo Araújo que, ao lado de Igor Eça ao violão e a voz da Paula Santoro, forma a base do espetáculo, monta a sonoridade de uma mini bateria de escola de samba ressaltando as nuances musicais do gênero.  

O espetáculo já foi apresentado no Rival, Sala Baden, Centro de Referencia da Tijuca, Laura Alvin (uma temporada de 4 semanas) e no Blue Note no Rio de Janeiro e em novembro de 2018 em Salvador e Fortaleza e no SESC Santo André –SP em 01 de março.

 

O espetáculo angariou elogios como o do consagrado pianista e arranjador Gilson Peranzzetta: “Fiquei encantado e emocionado ao assistir o espetáculo “AVENIDA SAMBA CANÇÃO”. A concepção harmônica e os arranjos inspirados de IGOR EÇA somados a voz da PAULA SANTORO e a percussão de MINGO ARAUJO conferem um novo olhar a sambas enredo que se já eram bonitos ficaram lindos. Os andamentos mais lentos permitem apreciar a beleza das melodias e das letras. A formação em trio, soando com se fosse uma “orquestra” me fizeram mais uma vez constatar que em música, na verdade, o menos é mais. Parabéns a IGOR EÇA, parabéns a todos pelo espetáculo sensível e criativo.”

Como também do jornalista e escritor especializado em samba, Hugo Sukman: “Ao fazer como canção os mais lindos sambas-enredos, Igor provoca essa estranha emoção da descoberta de algo que sempre esteve ali, como que intocado, despercebido, como se tirassem todas as fantasias e encontrassem a beleza do corpo nu. Ouvir aqueles sambas tão famosos só no violão, na voz de Paula Santoro e na levíssima percussão do Mingo Araújo (que contém a origem de toda bateria) é isso: uma espécie de alumbramento.”

A realização e coordenação do projeto são assinadas por Dulce Lobo.