PROGRAMAÇÃO

SOMBRINHA E THAIS MACEDO - 21 DE AGO

21 de agosto, às 21h 

A partir de R$ 30

Classificação: 12 anos 

Thais Macedo e Sombrinha sobem ao palco do Theatro Net Rio no próximo dia 21 de agosto para homenagear o lendário bloco carnavalesco Cacique de Ramos.

O bloco Cacique de Ramos foi criado em 1961, mas foi nas décadas de 70 e 80 que o “Pagode da Tamarineira”, virou o ponto de concentração de uma nova geração de intérpretes e compositores, que mais tarde vieram a se tornar e ser reconhecidos na MPB, como os grandes ícones do samba de sua geração.  Foi assim que surgiu o grupo de artistas denominados neste espetáculo como “Os Caciques de Ramos”.

Jorge Aragão, Sombrinha, Arlindo Cruz, Luiz Carlos da Vila, Almir Guineto e Zeca Pagodinho são crias da Rua Uranos, número 1326 em Olaria, e de lá pro mundo compuseram lindas canções que se eternizaram em suas vozes e nas vozes de muitos outros intérpretes da música brasileira.  

Em um depoimento à imprensa há dois anos atrás, Arlindo Cruz disse: "A história do samba se divide antes e depois do Cacique de Ramos. A gente tinha a certeza de que o que acontecia ali era mágico, mas não sabíamos que iria ganhar essa repercussão. Eu rezava pra chegar logo a quarta-feira - era o dia mais feliz da minha vida. Ali todo mundo ensinava e aprendia".

E foi assim, ensinando e aprendendo entre eles, que este grupo de talentosos artistas fez acontecer uma revolução melódica, poética e rítmica.

Sombrinha e Thais Macedo cantam os Caciques de Ramos, faz um passeio por esta história musical, onde Sombrinha como um dos Caciques conduz a cantora a belíssimas interpretações.

Acompanhado de seu cavaquinho e violão, Sombrinha dá passagem para Thais se apropriar com sua voz ímpar de suas belíssimas composições, e a cantora transita com maestria por um repertório, abençoado pelos mestres do samba.

Além de os grandes clássicos, no repertório três lindas surpresas estarão presentes nesta noite única, no Teatro Net Rio, o público irá conhecer  em primeira mão as inéditas de Sombrinha, as canções, Chama, Bahia de Amados e Infinito é o Tempo.