PROGRAMAÇÃO

CLAUDETTE SOARES E ALAÍDE COSTA - 09 DE OUT

09 de outubro, às 21h 

A partir de R$ 50

Classificação: 12 anos 

Nada melhor que celebrar os 60 anos da Bossa Nova no cenário em que ela nasceu: Copacabana. Claudette Soares e Alaíde Costa se juntam para apresentar no próximo dia 09 de outubro, no Theatro Net Rio, um show que reúne clássicos de Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Johnny Alf, João Donato, Roberto Menescal, Carlos Lyra, João Gilberto, entre outros grandes nomes. 

O projeto DIA DE MÚSICA é patrocinado pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, pelas empresas REDE D'OR e ONS Operador Nacional de Sistema Elétrico por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS. 

Embaixadoras da bossa nova em São Paulo, Claudette Soares e Alaíde Costa celebram 60 anos do movimento e da amizade que as uniu neste álbum gravado ao vivo na cidade que as acolheu carinhosamente. Quem sabe da conexão entre elas se questiona por que este projeto não foi realizado antes. Oportunidade não faltou.

Claudette, a “mando” de Ronaldo Bôscoli, foi a primeira a chegar a São Paulo. O compositor disse a ela que a cidade precisava de uma cantora para divulgar a bossa nova. “Você vai criar uma história lá”. Estava certo. A carioquíssima Claudette adaptou-se rapidamente à capital paulista, com casas que sempre pagaram bem, e muito bem, os artistas.

A convite da amiga, Alaíde veio na sequência. Cantando pela noite, ela e Claudette encontravam amigos e ainda eram abordadas por novos talentos como um certo Chico Buarque, presente no repertório deste CD com Sonho de Um Carnaval, canção que Alaíde escolheu para abrir o disco que lançou em 1965.

Neste projeto, elas fazem uma antologia da bossa nova, ao modo de cada uma. Cheia de balanço, Claudette percorre o lado “sal, sol, sul” do estilo por meio de clássicos e pérolas como Crediário do Amor. Pouco gravada, a música de Theo de Barros é lembrança do LP de estreia da cantora, Claudette é Dona da Bossa (1964). Alaíde, sempre segura, é intensa nas canções de amor que defendeu vida afora, como Chora Tua Tristeza e Morrer de Amor.

Simbolicamente, o álbum foi gravado em show no Teatro Itália, bem no centro da cidade que acolheu carinhosamente Claudette e Alaíde. O teatro não está muito longe de onde ficavam pontos bem conhecidos das duas, como os históricos Juão Sebastião Bar, Djalma's e Ela Cravo e Canela. Mas chega de saudade. Se depender delas, a bossa continua pulsando em São Paulo.